PUBLICIDADE
Festa do Bode
O motim da ala radical do PT não serviu de nada


Não adianto de nada a ala ultraradical do petismo no RN fazer revolução contra a pré-candidatura de Carlos Eduardo (PDT) ao Senado. Acabou aceitando de goela abaixo.

O motim dentro do PT/RN começou quando Carlos ocupou espaço de Jean Paul Prates no palanque de Fátima Bezerra (PT). A tática da governadora era tirar um oponente do caminho.

Jean e Carlos chegaram a trocar farpas pelo Twitter. Inclusive, Carlos, em certo momento, chegou a dizer que nem conhecia Jean.

Já as deputadas Natalia Bonavides e Isolda Dantas, engrossaram os ataques contra Carlos. Isolda disse, em entrevista à emissoras locais, que ele (Carlos) era um nome “intragável”.

Coube a Lula, durante sua visita à Natal, acabar com a confusão. Os rebeldes aceitaram Carlos e ponto final. Isolda se aquietou. Natalia disse que vai apoiar o ex-prefeito para não deixar Rogerio Marinho (o Baixinho) ser eleito. E Jean e Carlos se entenderam após o senador petista ser indicado para à suplência nesse projeto.

O único problema de Fátima continua sendo a pré-candidatura de Rafael Motta (PSB). Ele continua irredutível em seu projeto que pode prejudicar e muito Fátima e Carlos. 

Quem está adorando essa briga? O Baixinho, claro.