26Mai

“É perseguição política”, afirma líder dos caminhoneiros sobre processo da AGU

O líder nacional dos caminhoneiros, Ivar Schimit, que é catarinense, mas mora em Mossoró, está sendo processado pela Advocacia Geral da União (AGU) por mobilizar, em 2015, protestos em todo o país pedindo a saída da então presidente afastada Dilma Rousself. Ele afirma que trata-se de perseguição política. O valor da causa: R$ 100 mil.

“Estou extremamente tranquilo, pois no próprio processo tem uma contradição, com anexos de reportagens da época onde o governo não me reconhecia como líder dos caminhoneiros. Mas para me processar me reconhecem. Isso é apenas perseguição política”, afirmou Ivar em contato com blog.


Ivar está sendo processado pela AGU em R$ 100 mil por protestos contra governo Dilma (Foto: Blog O Antagonista)

O líder do Comando Nacional dos Transportes, que não é vinculado a nenhum sindicato ou confederação de trabalhadores, atribuiu o sucesso dos protestos através da união dos caminhoneiros pelos diversos grupos em que participa no aplicativo de mensagens Whataspp.

Em 2015, Ivar mobilizou mais de 100 pontos de bloqueios em várias cidades do país. Atualmente, é filiado ao Partido Social Liberal (PSL) em Mossoró.

Deixe o seu Comentário