13Jul

“A justiça foi feita”, diz ex-zelador do Triplex sobre condenação de Lula

O ex-zelador que trabalhou no tríplex no Guarujá, cuja propriedade é atribuída pela força-tarefa da Lava-Jato ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse que respirou “um pouco mais aliviado” após sair a condenação do petista, nesta quarta-feira.

Lula foi acusado de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo juiz Sergio Moro. José Afonso Pinheiro, de 47 anos, foi demitido do local no ano passado, segundo ele, por ter dado um depoimento ao Ministério Público (MP) no qual relatava visitas do ex-presidente e de sua mulher, Marisa Letícia, ao imóvel.

— Achei justo. Temos que pagar pelos nossos erros — afirmou Pinheiro.

Em sua decisão, Moro lembrou que Pinheiro afirmou ser de “conhecimento comum” no prédio que o tríplex era de Lula. “(…) todos sabiam lá que o apartamento pertencia ao ex-presidente Lula, inclusive até os condôminos sabiam também que era dele o apartamento, sempre houve esse comentário lá”, escreveu o juiz.

O ex-zelador chegou a dizer que os corretores de imóveis usavam o nome do ex-presidente na hora de oferecer apartamentos no prédio, além de confirmar que nunca o tríplex recebeu a visita de qualquer interessado e que “ele era dado como o apartamento do senhor Luiz Inácio.”

No depoimento, Pinheiro disse ainda que um dos executivos da OAS, o engenheiro Igor Ramos, pediu – “ele foi bem enérgico comigo” – para que ele não dissessem que o apartamento era de Lula nem que o ex-presidente e sua mulher, Marisa Letícia, tinham visitado o imóvel.

As informações são do jornal O Globo.

Deixe o seu Comentário